Vida Obra Actividade nas Escolas Contactos Revista Ficções



Arte da Conversação
(Cotovia, 2000)

> Excerto
Vanessa vai à luta
> Excerto

 

Romance
Contos
Teatro
Crónica
Espectáculos
Infantil
Guiões e Adaptações
Tradução



 

Vanessa vai à luta

Personagens

VANESSA - tem sete anos, cheia de energia, articulada e imaginativa.
RODRIGO - o irmão de Vanessa tem oito anos. É tristonho e bem comportado. Está sempre constipado.
A MÃE - é uma dona-de-casa cansada, que de vez em quando ajuda o marido na loja
O PAI - é um homem normal; tem uma pequena loja de mobílias de imitação de estilos e colecciona telefonias antigas.
A FADA MARINA - uma fada preciosa, inteiramente vestida de cor-de-rosa.

Cena I
(A sala-de-estar da casa de VANESSA e de RODRIGO; os brinquedos estão espalhados por todo o lado. RODRIGO está sentado a ver Televisão, muito quieto. Está a ver o TV Shop, que anuncia permanentemente aparelhos de ginástica e novas dietas milagrosas. VANESSA brinca sòzinha, sentada no chão. Tem na mão esquerda um Action Man e na direita uma Barbie. Faz um diálogo entre os dois).

VANESSA - (Voz do Action Man) Anda cá, anda cá, és tão linda, dá-me umbeijinho, (voz de Barbie) Ai, que bruto (Action Man) Ai sou bruto, parvalhona, és tão parva, ó minha estúpida, mas és tão linda (arfa) (Barbie) Tu também és muito bonito, olha para estes músculos, és muito forte (Action Man, beija a Barbie)
(Action Man) Mmmmh, anda cá , anda cá, olha que levas, chega-te cá mais, dá-me um abraço, dá-me outro beijinho se não, não gosto de ti (voz da Barbie, risinhos) Tira a mão, monga (Action Man) Ai que parva, tens um cabelo tão lindo todo aos caracóis, tão amarelinho, é mesmo amarelinho da cor do sol , parece um ovo estrelado (dão beijinhos, entra o Ken) Que é isso a mexer na minha mulher? Tira já as patas de cima da minha Barbie (Action Man) Ai que medo, vê lá se te despenteias. Onde é que deixaste o teu carrinho encarnado descapotável? Ou vieste a pé se calhar, ó meu maricas ? (Ken e Action Man lutam) Toma, toma, dou-te um murro que vais até à Irlanda (Ken) Tu é que ficas de cara à banda com um pontapéno... (Barbie) Toma , monga, que ninguém te chamou cá ! (Lutam os três e Vanessa faz os sons da luta)

             (Ouve-se a MÃE chamar a VANESSA) - Vanessa !Vanessa!

VANESSA - ( continua impávida a lutado Ken, da Barbie e do Action Man; entram os Dragonball) - Taran! Taran! Dragonboól Z,Z,Z ! Amigos, olá, amigos, ajudem aqui! Goku, amigão, ajuda aqui a Barbie! Olá, Vegeta! Olá, Gohan, iá! O Ken e o Action Man já estão quase a morrer! O Goku é o mais forte de todos! Fusão! Fusão! Con-fusão! (Luta generalizada entre todos os bonecos, com a Barbie a fazer golpes de karate) Iá, iá !

MÃE - (off) Vanessa!
RODRIGO - Olha a mãe a chamar! MÃE –Vanessa!
VANESSA- (faz o relato) Barbie dá um golpe de karaté e atira o Ken ao chão, magoa-se no braço, põe-se a chorar, ué, ué, ganda monga este Ken, o Action Man salta-lhe em cima e toma, uma na cabeça, toma, uma nos tomates, toma, uma no peito, no peitinho, dói muito, ué, ué, o Ken vai fazer queixa à professora, não é? O Ken é bué queixinhas.
RODRIGO – Não ouves a Mãe chamar? Já está a chamar há imenso tempo.
VANESSA - (continua a fingir que não ouve) E iá, e iá, Barbie, não deixes , não deixes, ela é mais forte que todos, mais forte que todos, matou todos, e um, e dois, e três, venham cá, venham cá se querem apanhar, pch, paf, psss... (vai buscar outra Barbie, já muito estragada) Anda, amiga, estás livre, ganhámos, ganhámos! Libertámos a Terra do Mal!

              (A MÃE entra na sala, de avental e luvas de borracha).

VANESSA - (rapidamente muda de estratégia) - Agora, todos amigos, (põe os bonecos a dar beijinhos uns aos outros) Estamos cansados de tanto brincar. Vamos tomar um chazinho? Vamos pôr uma linda toalha de renda na mesa , uma toalha muito branquinha e vamo-nos sentar todos a tomar um chazinho de camomila.
RODRIGO- (muito fanhoso, com o nariz entupido, a respirar pela boca) Ó Mãe, ela estava à luta com os bonecos, estava a atirar com os bonecos todos...A sala até estava a tremer...
VANESSA - (entre-dentes) Tu é que ficas a tremer daqui a bocado se não te calas...
RODRIGO – É que assim estragas e depois não tens. MÃE- Vanessa, vem ajudar a Mãe. Tens a loiça para arrumar.
VANESSA - (fingindo que não ouve) Todos amigos, já passou, já vem a ambulância... Tiróri, Tiróri, agora com jeitinho...(O Ken recomeça a luta) Porta-te bem, agora vai tudo para o Hospital ser operado ao fígado, salta para a ambulância...Vá, depressa. Rápido, não temos o dia todo... MÃE - Estou farta de chamar, o que é que estás a fazer?
VANESSA - Tenho de levar esta malta toda para o Hospital.
MÃE - Vens mas é ajudar-me a arrumar a cozinha.
VANESSA - Vai o Rodrigo que eu tenho mais que fazer.
RODRIGO – (para a Mãe) Estavam a dar aquele anúncio que tu gostas.
VANESSA - Eles estão bué de doentes. Não os posso deixar sozinhos, coitados. O chá caíu-lhes mal, ficaram com dor de barriga. Apanharam uma gripe de África. Estão cheios de febre. (Para o Ken) Toma o xarope. Sabe a laranja.
MÃE - Vens secar a loiça e depois brincas.
VANESSA – Ela seca sozinha. Pões ao sol, na cozinha. MÃE - Tens de começar a ajudar a Mãe.
VANESSA - O Rodrigo é que é bom para isso, limpa a loiça e assoa-se ao pano. (levanta-se e vai ter com a MÃE. Para o RODRIGO, quando passa por ele) Ranhoso!

Cena II

           (A MÃE arrasta a VANESSA por uma imensa loja de brinquedos)

MÃE - Olha aqui esta, Vanessa! Olha que beleza! Toda vestida de cor-de-rosa, até os brinquinhos das orelhas são cor-de-rosinha!
VANESSA - (educada) Linda. Mas ó Mãe anda ali à secção dos rapazes, que tem coisas bué da fixes, aqui é só esta bonecada cor-de-rosa! Isto até mete nojo.
MÃE - (para VANESSA) Já te disse que não te dou uma metralhadora nos anos.
VANESSA - Mas deste uma ao Rodrigo.
MÃE - Mas o Rodrigo é rapaz.
VANESSA - E o que é que isso tem a ver?
MÃE - Tem a ver, porque há brinquedos para meninas e brinquedos para rapazes.
VANESSA – E por que é que não fazem bonecas com metralhadoras?
MÃE - Escolhe um brinquedo de menina.
VANESSA- Mas os brinquedos das meninas são todos uma grande...
MÃE - Olha aqui, que engraçado, uma cozinha, parece mesmo a sério.
VANESSA- (desinteressada) É, muito gira. Agora, ó Mãe, vamos ali ao...é já ali ao fundo, não te cansas nada. É surpresa. Vais ver que gostas. Tem uns Action Man...Figuras do Dragonball...Vais ver o Goku...
MÃE - O quem? Inventas cada nome, Vanessa? VANESSA - Não fui eu queinventei, foram os chineses! O Sangoku casou com a Kika e tiveram um filho que é o Sangohan e depois, muitos anos depois, tiveram o Sangoten... Estás a ouvir?
MÃE - (distraída com outros brinquedos) O fogão tem bicos de gás...
VANESSA – O Sangoku é amigo do Vegeta e tratam-se como irmãos...
MÃE - ...que parecem mesmo a sério, olha aqui...
VANESSA - ...primeiro foram inimigos, agora são companheiros de guerra. Então o Vegeta teve um filho...
MÃE- É incrível as coisas que eles inventam para os miúdos.
VANESSA- ... que é o Trunks. E eles passam a vida a combater, a treinar-se para combater e a conquistar outros planetas para depois...
MÃE - Olha, um carrinho de supermercado, não achas engraçado? Não gostas? Não gostavas de ter um?
VANESSA - (parando de repente ) Ó Mãe, mas tu és louca, para que é que queria um carrinho de supermercado?
MÃE - Também, não gostas de nada... Havias de ver no meu tempo...
VANESSA - O teu tempo era horrível, já sei. Estás sempre a falar do teu tempo. Não tinhas nada, eras pobre.
MÃE - Não era por ser pobre, é que não havia brinquedos assim para os meninos.
VANESSA – Eras pobre, vivias longe. MÃE - Era bolas e carrinhos para os rapazes, bonecas e cozinhas de madeira para as meninas...
VANESSA - Agora continua a ser bonecas para as meninas, calha bem! ( Curiosa, olhando para a boneca ) Só que estas bonecas já têm telemóvel...
MÃE - Olha aqui, um aspirador, hã, depois ajudavas-me...
VANESSA- Então não era. Foi o que a Mimas teve pelo Natal, acreditas, darem um aspirador a uma pessoa ! Eu atirava com o aspirador à cabeça do Pai Natal que ele até ia a voar sozinho para o Pólo Norte!
MÃE- Mas por que é que não gostas de brinquedos de menina? És tão arrapazada, depois os rapazes não gostam de ti...
VANESSA – Eu também não gosto deles, calha bem. (Vai puxando a Mãe para o que lhe interessa) Olha, mãe, olha só isto. É a Natalie, amiga do Action Man, já viste as botas dela? Dá golpes de karaté a sério e tem um cão que salta assim (finge saltar para cima da mãe, quese assusta) Mas eu sei que tu não deves gostar da Natalie, porque ela é uma maria-rapaz e muito mau exemplo para mim, portanto eu não quero a Natalie. Olha só para o preço, vê lá...
MÃE– Quarenta e quatro euros e noventa e nove cêntimos! Quanto é que isso dá em escudos? VANESSA – Deixa lá os escudos. Ainda te cansas a fazer contas. É muito caro. Agora vê-me esta ultra mtx bike que se carrega ali naquele botão e...
MÃE - (lendo) Vinte e sete euros e noventa e nove cêntimos! O teu pai é que faz bem estas contas...
VANESSA - Isso deve ser a pilhas, gasta imensa pilha e só dá chatice, olha, não quero... realmente, é tudo caríssimo, tu não tens dinheiro, coitadinha de ti...e umas porcarias feitas de plástico...olha aqui...
MÃE - Isto é só monstros, Vanessa!
VANESSA – Achas? Eu acho bonitos. Olha este aqui como é forte.
MÃE – É um gorila! Tem focinho!
VANESSA – É o Hulk!
MÃE – Está bem, mas é horrível.
VANESSA - Mas eu não quero. É muito caríssimo. E este carro que se atira contra a parede e se parte todo? Também não quero. Olha, mãe (obriga a mãe a virar a cara na direcção do que ela quer) Estás a ver, é isto mesmo que eu quero, a metralhadora ZX 1289 Galáctica Super-EW Espacial...
MÃE – Vinte e quatro euros e noventa e nove cêntimos...Mas que raio de mania dos noventa e nove cêntimos...porque é que eles não arredondam os preços?
VANESSA - Não é caro, pois não? E faz bué de sons diferentes, tra tra , ió, ió, pscht, pscht...
MÃE - Não te dou uma metralhadora. Mas para que é que tu queres uma metralhadora, afinal?
VANESSA - Para que é que eu quero uma metralhadora? Essa é boa! É para brincar, o que é que achas, isto não é a sério, é uma metralhadora de plástico, não tem balas a sério.
MÃE - Por que é que não brincas com a do Rodrigo, se gostas assim tanto de metralhadoras?
VANESSA - Porque o Rodrigo é um chato e não brinca, mas também não empresta.
MÃE - Então, pede-lhe com jeitinho. Vá, vamos lá escolher uma coisa bonita para ti. Ou queres antes que te compre uma roupa?
VANESSA - (desconsolada) Oh, Mãe, não...Roupa não é prenda que se dê.
MÃE - Vi uns vestidos lindos numa loja lá do bairro.
VANESSA - Vestidos lindos? Estou bem lixada.